• Alexandra Fabri

Você realmente acredita que as pessoas mudam?

(Por Alexandra Fabri)


Com muita frequência as pessoas me questionam:

''Alexandra, seja sincera, você realmente acredita que as pessoas mudam?''

E a minha resposta é sempre a mesma: sim e não, e vou explicar meu ponto de vista.

Para quem não me conhece e ainda não me acompanha, sou autora do livro: O Código T

Ele apresenta uma metodologia, baseada em 3 passos, capaz de ajudar as pessoas a administrar e até mesmo eliminar sentimentos e comportamentos que tanto tiram a nossa paz e atrapalham os nossos resultados.


Na obra eu relato histórias reais de clientes meus que utilizaram a metodologia e conseguiram sucesso no quesito transformação, além de minha própria história, afinal fui a primeira a testar a metodologia e a sentir na pele os seus benefícios.


Nesse momento você deve estar se perguntando. ''Mas se eles conseguiram mudar então as pessoas mudam, certo?'' E mais uma vez eu insisto na resposta dúbia: sim e não.


E o motivo é que, dependendo da origem do comportamento ou sentimento negativo, ou seja, se ele resulta de experiências muito marcantes na vida, talvez a mudança não seja eliminá-los completamente, mas sim aprender a entender por qual motivo eles se manifestam, tomar consciência e deixar que eles façam o mínimo de estrago na vida e no menor tempo possível.


Costumo fazer a seguinte analogia:

Imagine que nossos sentimentos e comportamentos negativos são nossos ''fantasmas internos''. Quando não temos muita consciência do porquê eles se manifestam, com frequência eles assombram as nossas ações e nos causam prejuízos. Agora, a partir do momento que compreendo suas origens, passo a ficar atento e observá-los. Posso até, por vezes, não conseguir expulsá-los de minha “casa”, mas aprendo a deixá-los ocupando um pequeno lugar e não coloco tanta iluminação nele, ou seja, assumo o comando e não permito que ele entre no dia-a-dia por muito tempo ou ocasione estragos muito grandes.


E de tanto assumir o controle, de repente ele se vai e assim a mudança ocorre.

Em mim, muitos fantasmas se foram, outros ainda insistem em fazer moradia em meu ser. Continuo a minha jornada sem desistir de ser minha melhor versão. Portanto, afirmo que as pessoas mudam sim, quando mergulham num profundo processo de autoconhecimento e se esforçam arduamente, entendendo que é mais vantajoso a dor da transformação do que a dor de ser como se é, mas, se nesse processo faltar a prática, a persistência em querer ser diferente, aliada a algum tipo de vantagem em continuar agindo da mesma forma, então, nesse caso, a resposta passa a ser negativa, ou seja as pessoas não mudam.


Assim concluo que mudar ou não é questão de escolha, disciplina, capacidade de superação e muita persistência. Quando todos esses ingredientes coexistem em nós, provavelmente a mudança será somente uma questão de tempo.


Alexandra Fabri

Mentora, escritora e palestrante em desenvolvimento de pessoas e equipes

Sócia/Gestora da AFBR Group e Diretora da minds by fabri